Transformação


O ser humano, de forma geral, apresenta fortes tendências para desejar que os inúmeros caminhos da vida venham a convergir para o completo atendimento dos seus objetivos, dos seus desejos, dos seus sonhos.

Almeja saúde, sucesso, amizades, reconhecimento, notoriedade, enfim, uma vida de fausto, sem percalços, plena de harmonia e paz.

Porém, o tempo continua seu paciente caminhar e, gradativa, mas inexoravelmente, o ser humano vai se apercebendo de que muitos dos seus objetivos não passam de fugazes ilusões que, sutilmente, vão fugindo das suas mãos, distanciando-se dos seus olhos e, até mesmo, do seu coração.

As responsabilidades, preocupações, decepções, insucessos, tristezas e, também, as alegrias vão surgindo a cada dia evidenciando e impondo suas incontáveis nuances.

Neste vivenciar ininterrupto, o ser humano vê-se compelido a refletir, meditar, aquilatar suas virtudes, seus equívocos, o que fazer para melhor usufruir esta jornada terrena, enfim, pouco a pouco, vai livrando-se da densa neblina materialista que o envolve e começa a melhor se assenhorear das diversas facetas do mundo e a conhecer o verdadeiro local em que se encontra estagiando a sua alma.

Começa a conscientizar-se de que a vida lhe proporciona constantemente muitas oportunidades e expectativas e, mansamente, como que por encanto, vai compreendendo que as suas tristezas de agora são as ante-salas das suas futuras alegrias, que as lágrimas nascidas no vertedouro dos seus sentimentos vão docemente lavando sua alma transformando-a, no amanhã, em estrela radiante de compreensão, caridade e amor.

Os momentos, os dias, transcorrem céleres e a vida, mestra paciente e maravilhosa, vai evidenciando novos ângulos, ensinando um novo e mais belo caminhar.

Quando premido pela dor dos mais diversos matizes, este ser humano passa a sentir os corações de todos aqueles que o acompanham, nesta jornada, de outra forma, com os olhos brandos da compreensão e o sentimento puro da fraternidade.

Principia a reconhecer tudo aquilo que tem recebido e, a sentir, no íntimo do seu ser, o remorso, seguido do mais profundo arrependimento por não ter agido como deveria, de não ter feito por tantos o que agora tem a certeza de que mereciam .

A partir de então, passa a usufruir outras alegrias, de outros tantos momentos de regozijo e satisfação e inicia um mais seguro e consciente vivenciar.

Seus olhos adquirem a brandura, seus ouvidos a paciência, sua fala a doçura e todo o seu ser se transforma no acalanto da companhia e da amizade.

Assim sendo, vai se olvidando, pouco a pouco, das coisas da matéria e conscientizando-se de que a verdadeira felicidade está, justamente, em levar aos corações ressequidos pelas dores do mundo, estes tesouros do espírito, arduamente conquistados, e agora ofertados, simplesmente, em nome do amor!