Reflexões


Momentos existem em nossa romagem terrena em que nos sentimos impelidos a meditar, refletir para melhor analisarmos o nosso agora e o nosso amanhã que, por vezes, nos parecem muito distantes e nebulosos.

Neste silêncio interior em que ouvimos tão somente o murmúrio suave das nossas consciências, nos damos conta de que não devemos vivenciar o dia a dia das nossas existências, simplesmente, usufruindo os prazeres transitórios com que o mundo nos presenteia, enaltecendo a matéria enganosa que nos faz, inevitavelmente, enveredar por caminhos sinuosos, muitas vezes, sem volta.

Os fatos acontecem rápida e incessantemente.

As imagens e os sons desfilam céleres e, sutilmente, somos contagiados e envolvidos por este êxtase, vivenciando, como que automatizados, o amanhã como se fosse o hoje, o depois como se fosse o agora.

Nossos olhos se deslumbram, nossos ouvidos se impacientam, nossa palavra flui enlevada e o nosso coração se emociona.

Embevecidos por esta rapidez contagiante, tomamos iniciativas e decisões, assumimos posturas e, se não estivermos em harmonia, em equilíbrio, estaremos propensos a agir de forma egoísta e fatalmente enveredaremos por atalhos tortuosos que nos conduzirão ao vale negregoso das desilusões.

Sim, amigo irmão, que nos oferta a gentileza de sua atenção, é o mundo físico a nos entorpecer com o aroma da matéria, que com a rapidez do raio se evapora.

Antes, porém, faz-nos esquecer a essência perfumosa do Cristo Jesus, definitiva, perene a balsamizar nossas estradas.

Ofuscados pelo brilho efêmero da matéria inebriante, não conseguimos visualizar as luzes espirituais que suavemente nos conduzirão ao regaço do Divino Amigo.

Sem dúvida alguma, destas ponderações emerge nítida a necessidade de termos nossos momentos de reflexão para podermos auscultar nosso eu interior, vibrante, riquíssimo em experiências vividas em um sem número de encarnações passadas.

O nosso espírito entesourado pelo lastro bendito de outras existências, quando se abeberou na fonte viva do saber, ao buscar a suave presença de Jesus, tem sua consciência sublimada, assumindo a soberania dos seus atos, palavras e ações, delineando claramente o que, como e quando realizar as obras do Pai, com dignidade e justiça pois se encontrará em êxtase, inspirado pelo Divino Amigo.

Por isto, amigo irmão, empenhe-se para usufruir estes doces momentos de meditação, fazendo companhia a você mesmo, com o coração entrelaçado com o do Sublime Peregrino do Amor.

Assim agindo os equívocos serão evitados, reavivadas serão as suas virtudes e você se encontrará, amorosamente, fazendo a todos aqueles que cruzarem o seu caminho o que o Cristo Jesus teria feito se estivesse no seu lugar.

Tenhamos sempre em mente que a verdadeira felicidade só será por nós encontrada quando tivermos a humildade de nos esquecermos de nós próprios lembrando-nos de todos aqueles que se encontram, pelo mundo, esquecidos.