Treze anos depois... um abraço


Um dos maiores medos da nossa vida é o da separação.

Não podemos nem imaginar a dor que seria nos separarmos das pessoas queridas e amadas.

Quando surge em nossa vida um momento de problema de saúde, como uma cirurgia, sentimo-nos amedrontados e inseguros. Não sabemos nem bem o porquê. Se pararmos para pensar, esse sentimento se dá pelo medo da separação. Medo de que alguma coisa no procedimento, nosso ou de nosso familiar, não dê certo, que seja descoberta uma doença mais grave, mostrando-nos que a “temida separação”, antes tão distante, pode ficar mais próxima.

Na busca para aquietar meu coração, na expectativa de uma cirurgia minha e outra da minha mãe, busquei a sala do Dr. Mauro em uma quinta feira à tarde. Lá, recebi um dos maiores presentes que poderia ter recebido em minha vida. Treze anos depois do desencarne do meu pai, recebi uma mensagem e um forte abraço dele.
Isso se deu graças à mediunidade do Dr. Adriano, que, através de uma mensagem da Vovó Felicidade, recebeu notícias do meu pai.

No final da emocionante mensagem que acalmou meu coração, para minha surpresa e de todos trabalhadores da sala, Dr. Adriano ficou de pé em um pulo repentino e disse que meu pai estava ali naquele momento e queria muito me dar um abraço.

Não posso descrever com palavras a emoção que senti. Poder mais uma vez sentir a vibração, a força, o carinho e a proteção do meu pai.

Achei que não poderia mais, nessa encarnação, sentir o aconchego do abraço paterno.

Mais do que emoção, fiquei por dias como anestesiada. Minha cirurgia passou (correu bem) e passados esses dias , analisando aquela emoção vivida, pensei que naquela quinta feira o maior ensinamento que tive é: Medo! Medo de quê? Recebia a maior prova que separação não existe. Treze anos depois... um abraço.

O que posso,então, fazer?

É agradecer a Doutrina Espírita, a essa abençoada Casa de Paz e Amor, aos nossos companheiros trabalhadores e em especial, ao Dr. Adriano que, com sua mediunidade, me proporcionou essa emoção e o grande aprendizado: “A vida continua, a separação não existe”. Os laços de amor são muito mais fortes que qualquer separação.

Muito obrigada Núcleo de Paz e Amor! Que continuemos firmes nesse trabalho para tirarmos os ¨medos¨ de todos que por aqui passarem.

Autoria: 
Renata Lendimuth G. M. Gardelli