O trabalho das equipes socorristas no umbral


Pergunta de Maria da Graça Pereira: Os espíritos mais evoluídos, que participam em equipes de socorro, ao atravessarem o Umbral correm algum risco? Podem ser atacados ou aprisionados por espíritos de inferior desenvolvimento?

O poder de agressão que um espírito possa ter é somente aquele que nós mesmos lhe damos ao entrarmos em sintonia vibratória com ele. Nenhum ser inferior tem ascendência sobre outro que lhe seja superior. Logo, quando falamos em casos de obsessão é porque todos os espíritos envolvidos comungam do mesmo estado vibratório e, geralmente, até dos mesmos interesses, não havendo superiores ou inferiores.

Quando uma equipe socorrista parte em auxílio a algum espírito, é porque este já se encontra em condições de ser ajudado e já permite algum tipo de ligação psíquica de ordem superior pois, do contrário, não haveria possibilidades dele ser socorrido.

A mesma impossibilidade de afinização vibratória impede que os espíritos inferiores sequer se dêem conta da presença de entidades superiores, que dirá um ataque às mesmas.

Também temos que nos lembrar que as descrições do umbral, apesar de retratarem um local físico específico, são apenas metáforas literárias. O umbral é um estado de espírito, como o céu e o inferno, no linguajar de outras religiões, também o são.

Muitas vezes os espíritos que "estão no umbral', são justamente aqueles que estão tão profundamente mergulhados em suas próprias fantasias que não têm a menor percepção do que ocorre à sua volta.

Outros, em melhor estado, ainda podem interagir entre si e acabam por se agrupar, como é natural a todo ser humano, formando bandos que perambulam próximos (vibratoriamente falando) do plano físico, já que não têm condições de perceberem ambientes mais evoluídos.

É ao conjunto desses espíritos com suas idéias e formações mentais que damos o nome de umbral, e não a um local particular.

Dúvidas sobre a Doutrina? Envie sua pergunta para o e-mail: divulgacao@neapa.org.br.

Autoria: 
Márcia R. Farbelow e Hugo Puertas de Araújo

Adorei, até pq nas casas espiritas é muito dificil tirarmos todas as nossas dúvidas. Obrigada.