O futuro do Espiritismo depende de nós


PERGUNTA DE SIMONE IOLE: Adoro o "site" de vocês. Gostaria de saber que recomendações os amigos espirituais como Emmanuel e André Luiz podem dar daqui para frente sem o médium Chico Xavier? Como será?

PERGUNTA DE GERSON CAMARGO: O que será da doutrina espírita sem Chico Xavier?

O espiritismo foi codificado em 1857. De lá para cá já se passaram quase 150 anos e, durante esse tempo, grandes personalidades passaram por suas fileiras deixando as suas contribuições para o engrandecimento da doutrina.

Nosso Chico foi um desses grandes espíritos que por aqui estiveram para nos educar através de seus exemplos. O espiritismo no entanto, é maior do que a soma de todas as grandes personalidades que nele já militaram, incluindo aí o próprio Allan Kardec. Isso acontece porque o espiritismo não provém dos homens, mas sim da espiritualidade maior, da mesma forma que o cristianismo que também sobreviveu e cresceu após a morte de Jesus.

Na verdade, o espiritismo depende muito mais do empenho de cada um de nós, em procurarmos a nossa reforma íntima, do que da ação individual de pessoas, mesmo tão grandes quanto o Chico. Isso porque ninguém modifica ninguém.

O máximo que se pode fazer é dar o exemplo, e isso o Chico fez maravilhosamente bem. Temos agora que seguir os seus exemplos e fazermos também a nossa parte com a mesma coragem que outros tiveram. Ser espírita é buscar uma vida de engrandecimento pessoal através do estudo e da reforma íntima, e também o trabalho em pról do próximo e da melhoria da sociedade. É o "amai-vos e instruí-vos", ditado a nós pelo exemplo de tantas personalidades de escol, como o nosso Chico (mas não somente ele). Daqui o espiritismo segue como vem seguindo desde sempre.

O espiritismo depende muito mais do que cada um de nós faz do que da ação individual de grandes personalidades.

Dúvidas sobre a Doutrina? Envie sua pergunta para o e-mail: divulgacao@neapa.org.br.

Autoria: 
Hugo Puertas de Araújo e Márcia R. Farbelow