Nostradamus e as suas previsões do futuro


Pergunta de Jairo Horta: Podemos considerar Nostradamus um profeta? Todas suas previsões são verdadeiras? Em cada fato da História, cada tragédia mundial, Nostradamus acertou mesmo? Até quando ele vai acertar o futuro? Nostradamus seria para nós, afinal, um personagem confiável ou ele é um produto da mídia?

Nostradamus (Michel de Notre Damme) é um personagem bastante controvertido e durante a sua vida, ao que sabemos, ele fez, e acertou, várias previsões.

Quanto às suas palavras sobre o futuro, temos profecias dele que vão desde a sua época até um futuro bem distante que poderia se situar para bem além do ano 3.000.

Dizemos "poderia" pois um grande problema quanto às previsões de Nostradamus é o fato de não podermos dizer exatamente quando elas se realizarão (ou não), pois o médico francês (ele era médico e astrólogo) explicitava as datas dos eventos por ele previstos, por meio de fatos notáveis nos céus (por exemplo uma conjunção planetária, eclipses, etc.), e também devido à linguagem poética por ele empregada, o que torna difícil a interpretação de suas palavras.

Essas dificuldades à parte, a problemática de Nostradamus é em tudo idêntica à que vivemos quando vamos consultar um vidente qualquer. Trata-se de um caso de mediunidade onde o médium tem apenas uma noção do futuro mais provável e não de um futuro exato.

Allan Kardec nos dizia que para esses médiuns, em estado de desprendimento parcial, a sua capacidade de previsão ficaria mais aguçada, como quando alguém sobe uma montanha e daí tem uma melhor visão sobre o vale lá embaixo. Essa pessoa no alto pode até guiar outras que se desloquem ao longo de um caminho e dele não tenham noção sobre os seus acidentes, mas nunca teria condições de determinar inequivocamente tudo o que viesse a acontecer, pois isso negaria o livre-arbítrio, o que é um engano.

Assim, um médium mais ou menos "poderoso" poderia ter uma visão mais ou menos clara sobre um futuro mais provável, mas nunca uma certeza plena sobre os acontecimentos.

Isso também vale para o caso de Nostradamus. Ele pode errar em suas previsões pois o nosso livre-arbítrio pode alterar os fatos. Ele também pode ser interpretado de forma errônea, tanto na identificação das personagens e acontecimentos como quanto às datas, devido sua linguagem figurada e ao uso de eventos astronômicos para as suas datações.

Com tudo isso em mente, o que podemos dizer é que não podemos nos fiar em suas previsões mais do que nos fiaríamos nas previsões de qualquer outro vidente, tarólogo, quiromante e outros!

O nosso futuro nos pertence e dele podemos fazer o que o nosso livre-arbítrio e determinação permitir. Lembramos que "o ontem já foi" e o "amanhã ainda não veio".

Numa longa viagem, o caminho apresenta paisagem sempre diversa. A visão da linha reta faculta uma previsão de sucessos; no entanto, uma curva, à frente, oferece aspectos surpreendentes e inesperados.

Dúvidas sobre a Doutrina? Envie sua pergunta para o e-mail: divulgacao@neapa.org.br.

Autoria: 
Márcia R. Farbelow e Hugo Puertas de Araújo