André Luiz: o revelador dos mistérios do além


O ano de 1944 marca a estréia de André Luiz no mercado editorial espírita brasileiro, revolucionando, de certo modo, a concepção geral acerca da vida pós-túmulo.

"Nosso Lar" descreve as atividades de uma cidade espiritual próxima à Terra, e transforma-se em objeto de estudo, discussão e deslumbramento nos círculos espíritas do país. Portas até então cerradas se abrem de par em par, revelando vida e trabalho, continuidade e justiça onde imperavam muitas dúvidas e suposições.

Todos querem saber mais sobre o autor, pricipalmente sobre sua última encarnação. André Luiz não é o seu verdadeiro nome. Dele sabe-se apenas que foi médico sanitarista, no século iniciante, e que exerceu sua profissão no Rio de Janeiro. Segundo suas próprias palavras, optou pelo anonimato, quando da decisão de enviar notícias do além-túmulo, por compreender que "a existência humana apresenta grande maioria de vasos frágeis, que não podem conter ainda toda a verdade".

Declara Emmanuel, no prefácio de "Nosso Lar", que ele, "por trazer valiosas impressões aos companheiros do mundo, necessitou despojar-se de todas as convenções, inclusive a do próprio nome, para não ferir corações amados, envolvidos ainda nos velhos mantos da ilusão."

Imensa curiosidade cerca o benfeitor e aventam-se hipóteses sobre sua verdadeira personalidade. O nome do médico e cientista Oswaldo Cruz parece o mais lógico, embora ainda uma hipótese.

André Luiz, no entanto, fiel ao desejo de servir sem láureas, e atento ao compromisso com a verdade, prossegue derramando bençãos em forma de livros, sem se curvar à curiosidade geral. Importa o que tem a dizer, de espírito à espírito. A vaidade do nome ou sagrações passadas já não encontram eco em seu coração lúcido e enobrecido.

Por mais de quatro décadas, André Luiz trabalhou ativamente junto a Seara Espírita, exornando-lhe a excelência e clarificando caminhos. Francisco Cândido Xavier, o médium que serviu de "ponte", hoje adoentado e com muita idade, não pode mais oferecer mão segura à transmissão de seus ensinamentos luminosos.

Não sabemos se André Luiz retornará pela mão de outro médium. Deste modo, resta apenas, aos espíritas e admiradores, o estudo de sua obra magnífica, calando interrogações para ater-se às lições ministradas, de mente despojada e coração agradecido, como ele, certamente, aguarda que seja feito.

De sua vasta obra, destacamos: Nosso Lar, Os Mensageiros, Missionários da Luz, Obreiros da Vida Eterna, No Mundo Maior, Agenda Cristã, Libertação, Entre a Terra e o Céu, Nos Domínios da Mediunidade, Mecanismos da Mediunidade, Evolução em Dois Mundos, Conduta Espírita, Sexo e Destino, Desobsessão, E a Vida Continua, Sol nas Almas, Sinal Verde, Endereços de Paz, Opinião Espírita, e Estude e Viva (estes dois últimos com Emmanuel), além de centenas de mensagens distribuídas nos inúmeros livros de Francisco Cândido Xavier.

No prefácio do livro "Libertação", Emmanuel diz o seguinte à respeito de André Luiz: "Ante as portas livres de acesso ao trabalho cristão e ao conhecimento salutar que André Luiz vai desvelando, recordamos prazerosamente a antiga lenda egípcia do peixinho vermelho. Encantado com as descobertas do caminho infinito, realizadas depois de muitos conflitos no sofrimento, volve aos recôncavos da Crosta Terrestre, enunciando aos antigos companheiros que, além dos cubículos em que se movimentam, resplandece outra vida, mais intensa e mais bela, exigindo, porém, acurado aprimoramento individual para a travessia da estreita passagem de acesso às claridades da sublimação.

O esforço de André Luiz, buscando acender luz nas trevas, é semelhante à missão do peixinho vermelho..."

Autoria: 
Texto extraído do site André Luiz