A importante virtude da obediência


Uma de nossas maiores dificuldades e, porque não dizer, um dos defeitos que costumam estar presentes em todos nós, é a relutância em aceitar as opiniões que não vêm de encontro com a nossa realidade. Quando achamos que estamos certos em algo que queremos fazer, ignoramos quaisquer regras e agimos conforme nossa vontade, sem percebermos que isto pode ser muito prejudicial à coletividade. Não paramos para refletir que, sem regras, a paz e a harmonia jamais existiria, pois cada um de nós iria fazer as coisas a seu modo, o que geraria constantes conflitos sociais. Não é questão de certo ou errado, mas de diversidade de idéias. E é para solucionar esses problemas que existem as leis, nem sempre justas, é verdade, mas que devem ser seguidas para que possa existir uma vida em comunidade.

Precisamos ter esta consciência coletiva e acatar as regras que existem em nosso país, em nosso lar, em nosso trabalho e, também, em nossa Casa Espírita.

Assim como em qualquer empresa, um Centro Espírita também possui um Presidente, Vice-Presidente e Diretores, responsáveis por determinar as regras e diretrizes que regem essa instituição.

Assim como os funcionários de uma empresa obedecem às normas impostas pela Empresa, os tarefeiros de uma Casa Espírita, também devem submeter-se às regras estabelecidas por sua Diretoria.

O verdadeiro espírita, aceita, humildemente, as regras de seu Centro e sabe cumprí-las, mesmo quando não está de acordo. Compreende quando o seu companheiro aje de maneira incorreta e o orienta para que isso não volte a acontecer.

É importante, também, que aqueles que estão no comando, quer de uma empresa, quer de um Núcleo Kardecista, sejam fiéis seguidores de todas as decisões tomadas nas reuniões. Suas responsabilidades são enormes, pois quando não ajem em conformidade com aquilo que foi estabelecido, serve como exemplo negativo para todos os outros trabalhadores, desorganizando totalmente a estrutura desta organização.

Autoria: 
Alexandre Ferreira