10.ª Feira do Livro do "Paz e Amor"


No próximo dia 24 de setembro, sábado, das 10 às 18 horas, será realizada, na rua Muniz de Souza, 72, a 10.ª edição da Feira do Livro Espírita do "Paz e Amor".

Além da vasta coleção de livros que estará à disposição de todos os visitantes, nossa feira contará, também, com a nossa já famosa lanchonete, repleta de deliciosos quitutes elaborados com todo amor e carinho pelos tarefeiros e amigos da Casa.

Não deixe de prestigiar mais este evento do Núcleo. Venha passar um dia agradável, na companhia de amigos queridos.

E lembre sempre: o livro espírita é um amigo sincero que procura nos mostrar as verdades do alto, é um companheiro que tem sempre uma palavra de conforto quando precisamos, é um irmão que nos orienta e nos coloca no caminho do bem, provando que esta vida é apenas uma escola e que a verdadeira felicidade "não é deste mundo".

Para demonstrar esta verdade escrevemos, a seguir, uma belíssima mensagem de Emmanuel, psicografada por Francisco Cândido Xavier, intitulada:

O LIVRO ESPÍRITA

"Cada livro edificante é porta libertadora. O livro espírita, entretanto, emancipa a alma nos fundamentos da vida.
O livro científico livra da incultura; o livro espírita livra da crueldade, para que os louros intelectuais não se desregrem na delinquência.

O livro filosófico livra do preconceito; o livro espírita livra da divagação delirante, a fim de que a elucidação não se converta em palavras inúteis.

O livro piedoso livra do desespero; o livro espírita livra da superstição, para que a fé não se abastarde em fanatismo.

O livro jurídico livra da injustiça; o livro espírita livra da parcialidade, a fim de que o direito não se faça instrumento da opressão.

O livro técnico livra da insipiência; o livro espírita livra da vaidade, para que a especialização não seja manejada em prejuízo dos outros.

O livro de agricultura livra do primitivismo; o livro espírita livra da ambição desvairada, a fim de que o trabalho da gleba não se envileça.

O livro de regras sociais livra da rudeza de trato; o livro espírita livra da irresponsabilidade que, muitas vezes, transfigura o lar em atormentado reduto de sofrimento.

O livro de consolo livra da aflição; o livro espírita livra do êxtase inerte, para que o reconforto não se acomode em preguiça.

O livro informativo livra do atraso; o livro espírita livra do tempo perdido, a fim de que a hora vazia não nos arraste à queda em dívidas escabrosas.

O livro nobre livra da ignorância, mas o livro espírita livra da ignorância e livra do mal.

Amparemos o livro respeitável, que é luz de hoje, no entanto, auxiliemos e divulguemos, quanto nos seja possível, o livro espírita, que é luz de hoje, amanhã e sempre. "

Autoria: 
Da redação