Ensinamentos do Irmão Karl


Aos casais - Num preâmbulo que antecede o ensino, o nosso querido amigo Irmão Karl inicia falando-nos da natureza sujeita a ciclos e ritmos consecutivos como o dia e a noite, as estações climáticas, a semente que gera a árvore, esta a flor e daí o fruto e nos seres humanos o nascimento, a infância, puberdade, juventude, maturidade, velhice, fases sucessivas com suas próprias funções, valores, objetivos, condições, deveres e usufrutos.

As uniões matrimoniais, pois são dois seres vinculados por sentimento e compromisso, passam por ritmos biológicos e experienciais, regidos pelo ciclo natural da vida, o enlevo amoroso, a realidade concreta dos desafios da vida, a prole e os seus cuidados, a partida dos filhos adultos, os netos. Enfrentam, então, períodos, especialmente na fase outonal, nos quais as circunstâncias predominantes podem gerar certo esfriamento que entristece as almas e abala o relacionamento afetivo.

Lembra, então, o Irmão Karl que a matéria tem um ciclo inexorável, mas que o espírito que a anima é imperecível e ativo, com objetivos eternos e que, entre outros patrimônios, nos proporciona um precioso arquivo de memórias inesquecíveis dos anos que passaram. E é nessas horas de crise conjugal, aí vai o conselho do Irmão Karl, que marido e esposa, ambos devem puxar de suas lembranças todos os episódios felizes que, juntos, vivenciaram, todos os momentos do encantamento do namoro, o florescimento do amor, o enlace matrimonial, o prazer da intimidade, as alegrias e os sucessos marcantes da vida em família e muito, muito mais!

Ao trazer-se esse maravilhoso passado pelo poder do espírito, passa-se a revivê-los como se hoje fossem, pois, como recordar é viver, processa-se uma transformação tão grande dentro dos seres, que os fazem superar todos os entraves existentes pelo redespertamento da força daqueles sentimentos enternecedores que trarão a compreensão, a tolerância, o perdão mútuo na reconstrução da harmonia, da paz e da felicidade.

Experimentem, diz-nos com um sorriso alentador o nosso querido Irmão Karl, e ficarão surpreendidos com o resultado. E não só no outono da vida, mas em toda crise afetiva, pois as crises apenas querem que as criaturas repensem suas atitudes para alcançarem um novo e mais elevado patamar de entendimento e afeição, acima da matéria para estreitar a união verdadeira dos espíritos.

Autoria: 
Raphael Rios