O mal: um evento transitório da vida humana


Explicam-nos os nossos Maiores que o mal é uma derivação transitória do processo de experiência e erro, vivenciado pelo homem no exercício do seu livre-arbítrio. A liberdade de escolha é a condição que possibilita ao homem, na sua escalada evolutiva multimilenar sair do determinismo inconsciente dos instintos para o patamar superior da consciência e da razão, abrindo espaço para o mecanismo do mérito e do demérito ao responsabilizá-lo progressivamente pelos seus atos e fazendo florescer o subsequente patamar da consciência moral que depura os sentimentos.

O mal, que é unicamente gerado pelo homem nas escolhas incorretas, consiste no afastamento da Lei do Bem, ou seja, da Lei do amor, emanação da Divindade, sendo ela o único determinismo imutável a reger o roteiro humano a caminho da perfectibilidade.

Fruto exclusivo da liberdade do homem, o mal, corrigido que é pela disciplina expiatória depuradora da Lei de Justiça ou Lei de Causas e Efeitos (reação resgatadora igual e contrária) é um evento transitório da ascensão humana, apenas uma etapa, um ciclo, na escala angélica, em direção ao infinito, e que, diante da imortalidade da alma e da eternidade de Deus, representará ao longo das eras um átimo na história da humanidade.

Autoria: 
Raphael Rios