Adsorver sim, absorver não!


No decorrer do dia-a-dia, enfrentamos uma série de contratempos que geram preocupações que podem, muitas vezes, levar a situações de desequilíbrio e aflições.

Se não prepararmos o nosso espírito de uma forma adequada para enfrentar estes contratempos, vai sendo formado, ao nosso redor, um véu que acabará turvando a nossa visão, não nos deixando enxergar, com nitidez, o caminho para encontrarmos a solução.

Quanto mais nos enredamos com os problemas, mais eles irão nos envolvendo, levando-nos ao desânimo, ao desespero e ao desequilíbrio.

Tudo isto porque deixamos que os problemas sejam absorvidos, passando a fazer parte de nossos pensamentos e gerando preocupações.

Se compreendermos que habitamos um mundo de provas e expiações e que aqui reencarnamos com o objetivo de melhorar e evoluir, teremos uma chance para resgatar nossos erros e provar o quanto já somos capazes de superar os problemas, sem revolta, com fé, esperança e tranquilidade, não deixando que eles nos envolvam.

Não podemos deixar que os problemas adentrem o nosso íntimo e venham a ser parte de nós, para não perdermos a lucidez e podermos encontrar, com equilíbrio e sem desespero, o caminho para sua solução, ou seja, eles continuarão existindo, mas não devem nos atingir a ponto de afetar o nosso discernimento...

Os problemas devem ser adsorvidos e não absorvidos. Este ensinamento, trazido pelo Irmão Karl deve servir para nossa reflexão.

------------------------------

N.R.: Absorver: penetrar no interior do elemento. Adsorver: fixar somente na superfície do elemento.

Autoria: 
Ensinamentos do Irmão Karl - anotações de Adriano de Castro Filho