Nossa lapidação espiritual


O diamante é uma pedra preciosa de alto valor, de grande beleza e brilho, sendo muito desejada.

Na sua origem, quando retirada das minas ou encontrada nos cascalhos dos rios, esta pedra não apresenta a beleza e o brilho que tanto a caracterizam. Ela vem envolta em sujidades ou incrustada em uma carapaça rochosa que não permite que sua beleza e brilho possam ser apreciados.

A primeira providência a ser tomada é de limpá-la de sua sujidade ou livrá-la da carapaça onde está incrustada. Assim, se o diamante for de boa qualidade, ele já emite brilho. Contudo, este débil brilho não reproduz o potencial que a pedra encerra. A sua luz ainda é tênue e é emitida em uma só direção, não realçando toda a sua beleza.

Para que o seu brilho e esplendor sejam realçados, o diamante deverá ser submetido à lapidação. O lapidador com toda sua experiência e cuidado vai trabalhando a pedra, facetando-a em diversos lados para que seu brilho possa ser irradiado em todas as direções, podendo, assim, refletir a luz e beleza que o caracterizam!

Assim também somos nós!

Cada um possui em seu interior uma luz que muitas vezes nem imagina ter. A única maneira de sabermos é procurando trabalhar o nosso interior como fazem com o diamante. Inicialmente é necessário que conheçamos as nossas deficiências e procuremos livrar-nos delas como fazem com a preciosa pedra.

Com esta limpeza inicial o nosso interior começará a mostrar que possuímos, como o diamante, um brilho próprio que precisa ser lapidado para não ficar só para nós e sim refletir na direção de todos que necessitarem.

A lapidação ocorre em cada um de nós, quando compreendemos que, vivendo num mundo de provas e expiações, devemos enfrentar, sem revolta e com coragem, as dificuldades e obstáculos do caminho, entendendo que esta é a maneira de resgatarmos os erros e dívidas contraídos no passado. Com tolerância, compreensão e sem melindres compreenderemos que cada um só pode dar aquilo que possui, o mesmo ocorrendo conosco.

Esta lição foi trazida pela sabedoria e simplicidade do Irmão Karl, para que possamos refletir e começarmos o quanto antes a fazer a nossa lapidação espiritual!

Autoria: 
Ensinamentos do Irmão Karl - anotações de Adriano de Castro Filho

De fato, todos nós temos uma luz inabalável que ilumina tudo dentro de nós, eu digo que dependemos somente dela para enxergarmos nossa vida com mais clareza, sendo assim, para que possamos ter uma ampla visão da vida, devemos sempre acrescentar mas um pouco nesta luz linda que existe dentro de cada um de nós. - Yuri Dias.