Mantendo acesa a chama do amor


Em algum lugar do passado deixei meu coração.

Os pedaços foram ficando pelo caminho, um pouquinho em cada canto. A cada amor perdido, a cada desilusão, a cada tropeço, sentia que o coração ia ficando menor.

Um dia achei que não tinha mais coração... Nenhum sentimento, nenhuma emoção.

Ah, Pai! Senti um vazio imenso, uma solidão que atormentava... O coração fazia falta!

Resolvi, então, buscar os pedaços, refazendo o caminho por onde os deixei.

Que desespero me envolveu a alma; quanta angústia... Não achei nenhum dos pedaços!

Cansado, voltei.

Sem revolta, vi-me diante de Deus pedindo a Ele um novo coração. Estava disposto a lutar pela sua conservação, a fortalecê-lo a cada dia. Ele não iria mais se quebrar e nem se perder aos pedaços pelo caminho.

De repente uma luz se fez: um calor imenso foi sentido por mim no lugar onde havia o coração. Toquei o peito com as mãos e pude sentir batidas aceleradas, até mesmo a circulação do sangue foi percebida.

Lágrimas abundantes banharam meu rosto. A emoção tomou conta de todo o meu ser...

Pai, pedi a Ti um coração novo, mas nesse momento percebi que ele nunca saiu de meu peito. Ao Te buscar, Pai, descongelei meus bons sentimentos. Meu coração ressuscitou.

Hoje sei: todos temos coração; e o amor e a fé no Criador mantém acesa a chama que o ativa e o enche de vida e de alegria.

Autoria: 
Um amigo da casa - mensagem psicografada em 16/04/04 por Eliane O. M. Motta