Casa da Mãe de Deus e nossa - CMDn: um sonho que está começando a se tornar realidade!


Desde 1997, Maria Lúcia Campos de Cica, formada em Assistência Social, sonhava em construir algo em favor dos menos favorecidos. Resolveu, então, visitar famílias nas habitações coletivas do bairro do Cambuci, tendo oportunidade de participar desta realidade chocante: desemprego, tráfico de drogas, carência afetiva, violência doméstica, desencanto pela vida, etc.

O convívio com estes flagelos, bem como o envolvimento com muitas destas famílias, foi fundamental para instigar o seu desejo de participar de suas vidas de uma forma transformadora, capaz de mudar esta realidade. Em 2002 a CMDn iniciou suas atividades, à rua Mazzini, 216, Cambuci, São Paulo, SP, como agência de empregos mas, não tendo alcançado seus objetivos, passou para a área de pré-catequese. Foram percebidas grandes dificuldades na alfabetização das crianças e por isso foi iniciado um trabalho para auxiliá-las em seus deveres escolares. A princípio eram 3 crianças, logo depois eram 8 que vinham, pela manhã, fazer reforço escolar. No final do ano, havia 12 crianças que foram acompanhadas durante todo o ano de 2003.

Em 2004, o ano foi iniciado com 24 crianças. Em 2005, foram atendidas 37 crianças e, em 2006, 58 crianças de 4 à 11 anos.

Hoje são 60 crianças. Maria Lúcia nos disse que seu objetivo sempre foi o de participar da construção de uma sociedade brasileira consciente de seus direitos e deveres, com valores éticos bem estruturados, com boa base na educação formal, capaz de habilitar os jovens para seus mais altos sonhos. Através das crianças, visa-se atingir as famílias num resgate da esperança e construção dos adultos, que, vendo seus filhos, sentem-se estimulados, por exemplo, a voltar a estudar. Vários pais já estão participando do curso de alfabetização para adultos, que acontece de segunda à sexta-feira, à noite, na mesma sala em que seus filhos estudam pela manhã.

Maria Lúcia nos diz, também, de sua alegria ao ver, em três famílias, os pais trabalhando em favor dos filhos, indo ao Posto de Saúde e diversas outras Instituições Sociais, para melhorar a saúde e descobrindo nas relações afetivas junto ao companheiro ou companheira e filhos, um novo prazer de conviver, brincar e conversar.

Autoria: 
Sonia Ferraz Ferreira