Sr. Oscar Camanho: um discípulo de Jesus


É com o mais puro sentimento de gratidão, que apresentamos a vocês a entrevista que nos foi concedida pelo nosso irmão Oscar Camanho. Ele nos deixa o testemunho do significado de ser um fiel discípulo de nosso Mestre.

EA - Como nasceu o Núcleo Espírita Assistencial "Paz e Amor", e quais foram os principais personagens da época?
Bem, tudo começou quando eu e a irmã Laura, médium de excelentes recursos psicofônicos, fomos convidados pela irmã Conceição, amiga da irmã Laura, para participar do culto do Evangelho no Lar em sua residência. Nesse nosso primeiro contato, verificamos uma pequena estátua de barro no centro da mesa, lembrando a figura do irmão Jacob, entidade muito querida pelos nossos "irmãos umbandistas". Na semana seguinte, fomos novamente ao culto e, em meio à reunião, apresenta-se o mentor da irmã Laura, Dr. Licurgo Pereira dizendo: "Encontra-se presente o espírito do irmão Jacob e ele sugere substituir a estátua por um vaso de flores pois, diz ele, gostaria de ser lembrado como espírito e não por uma estátua de barro". Como os frequentadores eram pessoas de pouco conhecimento quanto à Doutrina, verificamos ótima oportunidade para introduzir um espiritismo mais coerente com a Doutrina dos Espíritos. Logo após, a convite da irmã Conceição, chegaram o irmão Dr. Adriano e o irmão Jardim. Com esse esforço o grupo cresceu, e cresceu também o entusiasmo que culminou na fundação do que é hoje o Núcleo Espírita Asssistencial "Paz e Amor".

EA - Como o Sr. foi agregando / formando os palestrantes e os tarefeiros que hoje trabalham nesta Casa?
A formação de palestrantes e tarefeiros foi conseguida através de diversos cursos que sempre mantivemos na Casa. Hoje há mais de 100 tarefeiros, servindo nas mais diversas funções. Quanto aos palestrantes, alguns vieram de bagagem pronta e outros perseverando no conhecimento da doutrina, passaram a atuar como expositores.

EA - Fale-nos da organização Espiritual da Casa. Há entre os dois planos um mentor, um diretor? Quem é ele e como o Sr. o conheceu?
Fomos aquinhoados por entidades que realmente estão a serviço do Mestre Jesus, e, portanto, na doutrina dos Espíritos. Apenas cito o nome de nosso benfeitor Licurgo Pereira, de quem recebemos as primeiras instruções, mesmo antes da fundação desta Casa. Ele foi o mentor da irmã Laura enquanto encarnada. Após seu desencarne, passou a se manifestar através da irmã Manoela, porém somos felizes, pois há outros abnegados companheiros espirituais servindo esta Casa, nos diversos departamentos e por todos nós conhecidos nominalmente; porém não os cito para não cometer injustiça, pois são muitos.

EA - O Sr. considera a ciência um tanto renitente ainda, para tratar os assuntos do Espírito? Por que?
Não! Não acho que a ciência é renitente no que diz respeito ao Espírito. Considero que cabe a ciência no momento preciso, inexorável, provar a realidade do Espírito; quanto a nós Espíritas não temos dúvida alguma, porém, cabe à ciência provar isso para toda a humanidade. Aguardemos! Tudo virá no preciso momento.

EA - Sr. Oscar, todos que habitam esta Terra, tem missões de sofrimento?
Na minha visão, como estudante da Doutrina, ninguém nasce com a missão para sofrer. Deus como Pai amantíssimo que é, quer que seus filhos sejam felizes, todavia, como somos renitentes no erro, atraímos para nós o resgate e o resgate sempre vem com dores e lágrimas. Há outras alternativas concedidas pelo Pai. Jesus nos afiança que o amor cobre a multidão de pecados, ou seja, a quem muito ama muito será perdoado.

EA - Qual obra da literatura espírita que o Sr. mais apreciou? Por que?
Dentre as obras espíritas que li, todas elas foram de transcedental importância para mim. Com elas aprendi muito. Umas me falaram da necessidade do amor incondicional, outras da necessidade do perdão, outras mais da necessidade da renúncia. Se eu tivesse que apontar uma, eu diria "Renúncia" do nosso querido irmão Emmanuel, pois esta obra calou fundo no meu coração.

EA - Na sua opinião o que a Doutrina nos reserva para o próximo milênio? Alguma mensagem especial?
Creio que para o futuro, sem precisar data, diria como Monteiro Lobato, que tendo sido um ferrenho materialista, converteu-se ao Espiritismo antes de desencarnar, e proclamou em alto e bom som que o Espiritismo seria a religião do futuro. Quanto a minha mensagem, apenas diria: "A vida é a maior bênção doada por Deus. Façamos todo o bem possível; estudemos os livros básicos da Doutrina e assim, escudados no amor ao próximo e iluminados pelo conhecimento, estaremos avançando pelas trilhas da redenção

EA - Fale-nos sobre Jesus.
Jesus é o fundamento de toda a verdade e de todo o amor. É o filho unigênito do Pai, e veio com a missão de nos ensinar o amor, não medindo sacrifício para levar a bom termo... Pena que ainda não pudemos compreendê-lo. Ele é paciencioso e aguarda que um dia, caindo em nós mesmos, possamos atender o seu chamado.

Autoria: 
Márcia Regina Farbelow e Carlos Edson Bonino