150 anos do Livro dos Espíritos


No século XIX, o fenômeno das mesas girantes agitou a Europa, pincipalmente, os salões elegantes de Paris. Após os saraus, as mesas eram alvo de curiosidade, motivando reportagens na imprensa. Estas se moviam e respondiam a questões mediante batidas no chão. O fenômeno chamou a atenção de um pesquisador sério o professor Hippolyte Léon Denizard Rivail.

O professor Rivail, educador, autor de livros didáticos e adepto de rigoroso método de investigação científica não aceitou de imediato os fenômenos das mesas girantes, mas estudou-os atentamente, observando que uma força inteligente as movia e investigou a natureza dessa força, que se identificou como os "Espíritos dos homens" que haviam morrido. Rivail analisou as respostas, comparou-as e sistematizou-as, tudo submetido ao crivo da razão, não aceitando e não divulgando nada que não passasse por esse crivo. Assim, em 18 de abril de 1857, nasceu O Livro dos Espíritos. O professor Rivail imortalizou-se adotando o pseudônimo de Allan Kardec.

Hippolyte Léon Denizard Rivail nasceu em Lyon, França, em 3 de outubro de 1804. Estudou em Yverdun (Suíça) com o célebre Johann Heinrich Pestalozzi, de quem se tornou um eminente discípulo e colaborador. Aplicou-se à propaganda do sistema de educação que exerceu tão grande influência sobre a reforma dos estudos na França e na Alemanha. Poliglota, falava alemão, inglês, italiano, espanhol e holandês. Traduziu para o alemão trechos de autores clássicos franceses, especialmente os escritos de Fénelon.

O Brasil é o país que reúne o maior número de espíritas em todo o mundo, de acordo com o Censo do IBGE. Terceiro maior grupo religioso do País, os espíritas representam também o segmento social que têm maior renda e escolaridade, segundo os dados do mesmo Censo. Estima-se em 30 milhões o número de simpatizantes do Espiritismo no Brasil. Vinculados à Federação Espírita Brasileira, através das 27 Entidades Federativas Estaduais, há cerca de doze mil instituições espíritas.

Allan Kardec é personalidade bastante conhecida e respeitada no Brasil. Seus livros já venderam mais de 15 milhões de exemplares em todo o País.

Autoria: 
Texto extraído do site da Federação Espírita Brasileira