O que é a prece


A prece é uma conversa com Deus e pode ser representada por um pedido, agradecimento ou reconhecimento da bondade divina.

Geralmente, usamos a prece para pedir. No entanto, nem sempre o que nos parece necessário é o que realmente convém à nossa felicidade. Inútil pedir ao Senhor abreviar as nossas provas, nos dar alegrias ou riquezas. Peçamos, antes, os bens mais preciosos da paciência, da compreensão, da resignação e da fé.

Há dois tipos de pessoas que não oram: as que não querem e as que não sabem.

As que não sabem, muitas vezes, rezam mecanicamente, algo decorado que aprenderam na infância. Não compreendem que o valor da prece está no sentimento e não nas palavras utilizadas. Não existe oração poderosa, milagrosa.

Então, por que as orações existem? Apenas como guias e roteiros para os que não conseguem, sozinhos, encontrar as palavras necessárias. Algumas pessoas sentem a necessidade de ter um texto para seguir.

A Deus devemos nos dirigir com humildade e confiança. Isto é fundamental.

Sabemos que estaremos evoluindo, quando deixarmos de pedir por nós mesmos e, deixando o egoísmo de lado, pedirmos por nossos irmãos.

E o Pai Nosso? A única prece deixada por Jesus foi o “Pai Nosso”, mais como um roteiro para àqueles que não sabiam como se dirigir ao Pai. Ela resume tudo que necessitamos e, também, todos os deveres do homem para com Deus.
E quais, então, são as condições da prece? Orar em secreto, sem demasia, pois Deus estará lhe escutando e não será a quantidade de palavras mas, sim, a sinceridade com que foram ditas. Purificar o coração, buscando o perdão aos desafetos, despindo-se de mágoas e ressentimentos. Orar com humildade e não com orgulho.

Deus ouve as nossas preces? Sim, as preces sinceras, humildes, e nos responderá através dos acontecimentos da vida, embora não do modo que pretendemos, nem no espaço de tempo que desejamos.

Às vezes, por desespero, queremos uma solução imediata e não percebemos que a resposta pode estar no próprio problema. Por exemplo, pedimos a cura para uma doença, sem nos apercebermos que a enfermidade pode ser necessária para a nossa cura espiritual.

O homem, geralmente, só vê o presente, mas se o sofrimento for útil para a sua felicidade futura ele virá ao seu encontro.

O que Deus lhe concederá será a coragem, a paciência, a compreensão e a resignação para enfrentá-lo. E, ainda, os meios para se livrar das dificuldades. O esforço, entretanto, será sempre nosso.

Precisamos transformar as preces em ação, trabalho, realização em favor da vida e do próximo.

Podemos orar a outros espíritos, ou somente a Deus? Podemos sim, a Jesus e aos bons espíritos, mas, primeiramente, ao Pai, ao Criador. O próprio Jesus nos ensinou a orar ao “Pai Nosso que está nos Céus”. Ao orarmos para outros espíritos, estes serão nossos intermediários junto a Deus, porque nada pode ser feito sem Sua vontade.

Quando fizer a prece, recolha-se em seu coração. Faça silêncio e irá escutar o murmúrio de Deus através dos ouvidos da alma.

Autoria: 
Eliane de Oliveira Mianni Motta