Ao encontro das oportunidades


Ao iniciarmos o trabalho da noite, preparando-nos para o seu desenvolvimento, estávamos atentos ao diálogo a respeito das oportunidades da vida e a tudo que o Pai permite seja oferecido a cada um de nós para que possamos cumprir os compromissos assumidos visando a nossa melhoria, crescimento e evolução espiritual.

Não há um só acontecimento que não deva ser analisado, aprendido e utilizado para a caminhada no dia a dia da nossa vida.

Muitas vezes, aguardamos acontecimentos espetaculares, oportunidades mirabolantes para demonstra ao Pai, e a nós mesmos, o quanto já somos capazes.

A vida passa, os dias correm, as semanas voam, os meses desaparecem... e as oportunidades que imaginamos não chegam. Não conseguimos descortiná-las. Assim, a vida vai passando e nada fazemos porque ficamos no aguardo de grandes tarefas. Acontece que, no dia a dia, são os pequenos momentos da vida que constituem as oportunidades que Deus nos dá: o sorriso, o abraço, a palavra amiga de conforto, serena e tranqüila, o perdão, a compreensão e o entendimento de que ninguém pode dar o que não tem, mas, em compensação, nós podemos dar sem esperar retorno.

O despertar para o compromisso, para a transformação interior, permite compreender melhor que nada somos, que nada possuímos a não ser o que temos em nosso interior.

Os bens materiais são importantes para atender às nossas necessidades básicas, mas, muitas vezes, os queremos em demasia, almejamos o supérfluo e esquecemos de construir o que é mais importante para a nossa vida que é o aprendizado, a melhoria interior, o tempo dedicado ao serviço na Seara do Mestre em favor dos que estão necessitados.

Muitas vezes nos sentimos injustiçados, magoados, sem compreendermos as razões. Esquecemos de analisar e descobrir que, se assim nos encontramos, não é por culpa do próximo mas, exclusivamente, por responsabilidade nossa, por não conseguirmos, ainda, nos desvencilhar do egoísmo, da vaidade, da intolerância...

Aquele que ama não espera mais do que lhe podem dar; está sempre feliz por que a vida lhe sorri, mesmo nos momentos mais difíceis, pois entendem serem provas que devem ser vencidas, demonstrando, a si próprio, que já é capaz.

Autoria: 
Um amigo - Mensagem recebida por Adriano de Castro Filho em 20/01/04