A serviço do Cristo jamais te atemorizes


Somos chamados nesse momento ao serviço edificante. E isso não significa que seremos premiados com facilidades ou com alegrias.

Na realidade, é chegado o momento de nos submetermos aos "testes". E somente teremos êxito com humildade, bondade e perseverança.

Quando Jesus Cristo esteve entre nós, deu exemplos inesquecíveis e inexpugnáveis de como melhor proceder.

Primando pelo "fazer o bem, não importa a quem", estaremos colocando em prática o mais sábio de todos os ensinamentos, que é o da caridade, ou do amor fraternal.

Claro está que não estamos encarnados somente para assistir às experiências alheias. Escolhemos estar hoje aqui para vivenciarmos as nossas próprias. E para que não venhamos a desistir, temos que ter sempre em mente que estamos sendo protegidos pelo Plano Espiritual, e também pelo nosso Irmão Maior: Jesus. Por isso, não devemos nos atemorizar, ou, ainda, pensar que nada podemos fazer.

Jesus, através de nossos amigos celestiais está e estará conosco, ajudando-nos no cumprimento das nossas obrigações.

Servir ao próximo é o modo mais acertado de nos burilar espiritualmente. Quando nos colocamos em prol daqueles que necessitam, recebemos ajuda efetiva do Alto, e assim, os nossos problemas pessoais acabam sendo resolvidos com mais facilidade porque nos tornamos humildes e mais tolerantes.

Desenvolver simultaneamente as nossas virtudes, é algo mais do que necessário, principalmente a bondade. Precisamos ter coragem para sermos bondosos. Justamente a coragem para mostrarmo-nos sem medo, abrindo o coração para doar o que de melhor existir dentro de nós.

Isso porque percebemos que existem pessoas nesse mundo que possuem problemas que, aos nossos olhos, são gigantescos e sem solução. A tais pessoas, seremos, então, instrumentos de Deus. Claro que não deveremos resolver os seus problemas, mesmo porque cada um escolhe - de uma forma ou de outra - suas próprias provas. Deveremos sim, colocar-nos como ouvintes paciensiosos, demonstrando que as situações podem ser vistas de outros ângulos, de forma menos penosa.

Serão, então, nessas horas que os nossos problemas pessoais, conquanto existentes, assumirão um caráter de coadjuvantes, incitando sentimentos mais amenos, e de mais tolerância.

Devemos saber que a ajuda ao próximo não deve ter o condão de provocar o afastamento das nossas soluções pessoais. Estaremos acertando as nossas contas, de acordo com nossos débitos passados. A cada um de acordo com suas obras...

Mas devemos ter a certeza de que os nossos problemas nos purificam espiritualmente, deixando-nos lapidados para melhor ajudar ao próximo. Isso porque somente quando passamos momentos difíceis é que conseguimos melhor entender nossos irmãos que sofrem.

Agindo sempre de acordo com o que gostaríamos que os outros fizessem por nós encontramos o melhor jeito de ajudarmos.

Nesse sentido, no livro Sinal Verde, do nosso querido irmão Chico Xavier, André Luiz assim diz: "Em toda a comunicação afetiva, recorde a regra áurea: não faça a outrem o que não deseja que outrem lhe faça." (página 108).

Então, finalizando, que Jesus Cristo nos oriente e nos envie Irmãos benevolentes para nos inspirat na prática de Seus ensinamentos!

Autoria: 
Priscila Vivian Ferreira