Caminhar em Pirapitingui


Sejam quais forem os caminhos, nossa presença e nossa missão neste mundo é evoluir. Alguns de nós encontraram, assumiram ou foram indicados a cumprir esta missão por meio da incapacidade física, da falta de saúde, da limitação das condições do corpo.

Estamos nos referindo aos irmãos com hanseníase, que contraíram esta enfermidade ainda jovens e foram internados e tratados no Hospital Francisco Ribeiro Arantes, na cidade de Itu, no bairro de Pirapitingui.

Pessoas com hanseníase, que até há alguns anos atrás era considerada uma doença terrível, incurável, conhecida como lepra, foram banidas do convívio social e familiar e, depois de 40, 50 anos de tratamento, já curadas, mas com algumas sequelas, vivem na colônia do hospital, recebendo o acompanhamento médico e fisioterápico, além de serem atendidas por assistentes sociais e pela equipe de enfermagem.

O Núcleo Espírita Assistencial "Paz e Amor", com sua caravana de, em média, 30 pessoas, vai a Pirapitingui todos os meses, sempre no 3.º domingo. Lá, dividimo-nos em cinco equipes que visitam e prestam auxílio a 6 ou 7 casas por grupo. Além das casas, esses grupos também visitam as pessoas que se encontram internadas na enfermaria do hospital.

Em nosso trabalho, visitamos a casa de Dona Benedita de Lourdes Mateus (foto) que, em virtude das sequelas da hanseníase e do desgaste físico natural da idade, está perdendo a capacidade de se locomover, não podendo, assim, executar suas atividades rotineiras, dependendo sempre do auxílio de outras pessoas.

No mês de novembro de 2004, Dona Lourdes (como prefere ser chamada) solicitou nossa interferência por intermédio dos tarefeiros Joel e Cleide, a fim de que nosso Núcleo conseguisse um andador para que ela pudesse retornar às suas atividades do dia-a-dia.

Essa solicitação foi contemplada, no mês seguinte, com a doação de um andador que o Núcleo recebeu da nossa companheira e colaboradora Dra. Michele Mendes, fisioterapeuta.

No mês de dezembro, portanto, Dona Lourdes recebeu o referido presente do Núcleo, através das mãos da Dra. Michele e de todos os que colaboraram para a consecução desse objetivo.

Em Pirapitingui, cruzam-se os caminhos da dor e do amor, trilham-se vias de serviço e caridade.

Convidamos a todos os amigos do Núcleo, tarefeiros ou não, para conhecerem Pirapitingui e fazerem parte da nossa Caravana.

Autoria: 
Joel Adonay Lino