Parabéns


Um amigo que trabalha numa penitenciária como carcereiro costuma receber novos presos dizendo: "Parabéns!"

Geralmente os sentenciados não acham nenhuma graça. Sentem-se ofendidos. Soa como gozação.

Mas ele logo explica: "Vamos imaginar que você foi condenado injustamente, envolvido por pessoas que o iludiram, que mentiram a seu respeito. Isso é terrível! Mas um sábio judeu, que sabia das coisas, ensinava que não cai folha de uma árvore sem que seja pela vontade de Deus".

Se você não acredita em Deus e imagina que esse sábio, que se chamava Jesus, era um panaca, feche este livro e vá cuidar da vida.

Se, porém, conserva um mínimo de crença... se, no fundo de seu coração, sente que há um Ser Supremo que nos criou e governa, então, siga em frente e leia o que diz o carcereiro:

"Nada acontece por acaso. Houve razões para você ser preso, coisas que andou fazendo, não ontem, não em sua infância... Foi num passado distante, em outros tempos, em outras vidas… Está, portanto, pagando dívidas, acertando suas contas com Deus, o que é muito bom."

Sou obrigado a interromper novamente para explicar que nosso amigo fala sobre a Reencarnação. Segundo esse princípio, vivemos muitas vezes na Terra. O mal que sofremos hoje é consequência do mal que praticamos nesta ou em existências anteriores. Você encontrará mais explicações se continuar a leitura. Mas, deixemos a palavra com o carcereiro:

"Se não houve falha na justiça humana, se você mereceu a condenação, está igualmente de parabéns. A prisão evitará que se comprometa em faltas maiores pelas quais terá que responder perante Deus. Sua condenação, portanto, seria um mal necessário. Você está preso para pagar suas dívidas ou para não aumentá-las perante a Justiça Divina".

Autoria: 
Richard Simonetti