Buscando a ajuda de Deus


Certo dia, um homem resolveu ir ao barbeiro. Enquanto tinha seus cabelos cortados, conversava com aquele profissional. Falava, com entusiasmo, da vida criada por Deus. Daí a um pouco, o barbeiro, incrédulo, não aguentou e falou:

- Deixa disso, meu caro... Deus não existe!

- Por que não? - perguntou o cliente.

- Ora, se Deus existisse, não haveria tantos doentes, mendigos, pobres, etc... olhe em volta e veja quanta tristeza. É só andar pelas ruas e enxergar!

- Bem, esta é a sua maneira de pensar, não é?

- Sim, claro!

O freguês pagou o corte e foi saindo, quando avistou, imediatamente, um mendigo imundo, com longos e feios cabelos, barba desgrenhada, suja, abaixo do pescoço. Não aguentou, deu meia volta, levou o maltrapilho até a barbearia e interpelou o barbeiro:

- Sabe de uma coisa? Não acredito em barbeiros!

- Como?! - perguntou, atônito, o barbeiro, que vez olhava para o freguês, vez olhava para o mendigo.

- Veja bem, se existissem barbeiros, não haveria pessoas de cabelos e barbas compridas!

- Ora! - replicou prontamente o barbeiro - Existem tais pessoas porque evidentemente elas não vêm a mim!

- Agora você me respondeu porque existe tanta tristeza em tomo de nós - finalizou o freguês.

Autoria: 
Extraído do livro Estórias ao Entardecer, de William Netto Candido