Trabalhadores da Última Hora


Quando estávamos na escuridão da ignorância, com o coração pesado, com o egoísmo, a ganância e o orgulho marcando nossas almas, eis que num átimo surge a luz! Veio de mansinho, abrindo caminho através de espíritos preparados pelo Pai.

O caminho era demasiado difícil, a tarefa parecia pesada, quase impossível, mas eles não desistiram. Uma vez vinda do espaço, enchia os corações de fé e esperança.

Trabalhadores da primeira hora não se acovardaram em sangrar as mãos, ferir os pés nas pedras do caminho, sentir no coração a incompreensão e o escárnio daquela massa ensandecida. Não, eles não podiam falhar.

A estrada já estava preparada para a vinda do Mestre. Nimbado de luz, surge a Promessa Divina, o Salvador, trazendo junto a si o consolo àqueles corações que já haviam sido preparados.

Consciências adormecidas despertaram para a Boa Nova. Muitos trabalhadores se colocaram a postos abrindo os braços para o trabalho cristão.

Novas dores, novas incompreensões. Sentiram mais do que nunca a dificuldade de penetrar em corações endurecidos. Mas não desistiram. Estavam plasmados na mensagem do Mestre, alicerçados no amor difundido por Aquele que lhes tocara a alma. Naquele que lhes prometera o Consolador.

Muitos séculos depois, após um período de quase escuridão a despeito das pequenas luzes que jamais deixaram de brilhar, ressurge com toda força essa luz: o Consolador prometido por Jesus.

Junto com ele a convocação para que novos trabalhadores se pusessem a caminho, dispostos a difundir a claridade, a plantar novas sementes e preparar-se para a grande colheita.

Já não há a mesma dureza dos primeiros trabalhadores, o sacrifício dos seguidores do Cristo, a pouca claridade do entardecer. Não, os trabalhadores da última hora já encontraram o campo preparado, mas seu trabalho não é menor ou menos importante. Seu salário não será menor e ele não será menosprezado pelos demais, pois o fruto de tanto trabalho será para todos: é a felicidade de juntos trilharmos a estrada iluminada do Grande Mestre Jesus!

Autoria: 
Mensagem recebida em 07/11/2003, durante os trabalhos de sexta-feira