Pergunte ao Estamos Aqui!!!: benzimento e a mediunidade nos animais


A partir deste mês, estaremos com uma nova coluna em nosso informativo: "Pergunte ao Estamos Aqui!!!". Os leitores de nosso informativo poderão tirar dúvidas sobre diversos aspectos de nossa Doutrina, enviando suas perguntas para nossa repórter Márcia Farbelow, através do e-mail: divulgacao@neapa.com.br. Márcia, buscará as respostas com os tarefeiros de nosso Núcleo para que possamos publicá-las no informativo do mês seguinte.

Este mês, a fim de ilustrar esta coluna, publicaremos algumas respostas às perguntas de leitores da Revista Cristã do Espiritismo.

PERGUNTA: Benzo crianças em casa. Disseram que isso pode me fazer mal. É verdade?

Kardec diz, em vários pontos dos livros da Codificação, que todos nós somos sensíveis à ação dos espíritos sobre nossos pensamentos, e os espíritos reforçam que até mais do que parece. Isso é porque somos espíritos, e mesmo encarnados continuamos em contato, pelo pensamento, com os que estão à nossa volta. Mas quando estimulamos esse contato, o que se denomina mediunidade, fora de um ambiente adequado (geralmente uma sociedade espírita onde se estude muito, e se tem companheiros conscientes do que se está fazendo), realmente corremos o risco de estabelecer relação com espíritos de que custaremos a nos afastar. Isso pode causar inconveniente sério, de passageira perturbação a graves obsessões. O uso da mediunidade deve ser reservado aos locais onde temos companhia preparada para nos apoiar, e depois de nós mesmos estarmos prontos pelo estudo.

PERGUNTA: Os animais conseguem ver espíritos?

Sim, em determinadas circunstâncias os animais podem ver, ouvir e sentir espíritos desencarnados, como nós, e até sem nossa percepção e reagem a isso, mostrando-se assustados, por exemplo. Mas isso não os torna médiuns, pois eles não são capazes de nos informar sobre o fenômeno ou dar instruções. É o mesmo que ocorre com as crianças pequenas (até 4 ou 5 anos de idade), que vêem espíritos e podem até Ter uma relação muito ativa com eles, mas não estão aptos a retransmitir informações ou orientações (aliás, por essa razão é que jamais se deve tentar utilizar crianças como médiuns).

Autoria: 
Revista Cristã do Espiritismo