O seu mau humor não modifica a vida


Frase de André Luiz, através da psicografia de nosso saudoso Chico Xavier: “O seu mau humor não modifica a vida”. Mas será que realmente não modifica? Será que alguém que passe o tempo todo reclamando de algo não proporciona uma grande mudança em seu dia-a-dia?

O mau humor, assim como o desânimo, o desespero, a revolta e tantas outras emoções similares, tem grande influência e podem, sim, modificar nossas vidas. Uma pessoa mau humorada afasta os amigos, cria inimizades e dá abertura para que espíritos menos evoluídos passem a prejudicá-la.

São por estas e outras razões que chegamos à conclusão que o mau humor e todos os outros maus sentimentos não devem fazer parte de nossas vidas.

Entretanto, apesar de sabermos de tudo isso, estamos, constantemente, cometendo estes erros.

Nós, espíritas, temos uma responsabilidade ainda maior, pois sabemos como devemos agir em cada situação. Temos, ou deveríamos ter, a obrigação de estarmos sempre de bom humor, levando alegria para todos os lugares onde passamos.

Sabemos que não é uma tarefa muito fácil; principalmente morando em uma cidade como a nossa, onde a maioria das pessoas encontra-se mau humorada e é preciso estarmos muito atentos para não nos contagiarmos.

Quantas vezes encontramo-nos irritados e ao sermos indagados do motivo, respondemos não saber. Muitas vezes não há razões que justifiquem essa nossa atitude.

O mau humor é prejudicial não só para nós mesmos como também para aqueles que convivem conosco diariamente. Quantas pessoas estão com problemas e precisam de um sorriso? Quantas necessitam ouvir um bom dia, receber um abraço carinhoso para poderem seguir adiante em suas difíceis caminhadas? Por que perdermos tantas oportunidades se o nosso mau humor não resolverá nossos problemas?

Esforcemo-nos portanto, para estarmos sempre felizes, aceitando os obstáculos da jornada com paciência, resignação e ajudando a todos que cruzam nossos caminhos. Se ainda não nos acharmos prontos para este desafio, que possamos, ao menos, mostrar um rosto alegre, não deixando transparecer o que nos perturba. Caso isto também seja muito difícil, procuremos, ao menos, não descontar nossos problemas em ninguém. Agora, se nem desta atitude formos capazes, tranquemos-nos em um quarto e esperemos nosso mau humor ir embora... pelo menos não estaremos prejudicando ninguém.

Autoria: 
Alexandre Ferreira