Curas de Jesus face aos compromissos cármicos


O própio Jesus associou indelevelmente a enfermidade com o pecado: "Estás curado. Vai e não peques mais". Entenda-se pecado como ato contrário à Lei de Deus que gera a reação de resgate/reparação/aprendizado na forma da enfermidade ou de outra constrição.

É a aplicação pura e simples da Lei de Ação e Reação, de Causa e Efeito, de Justiça, de Karma, versão benéfica da Lei do Amor que dá ao prevaricador a oportunidade da reparação e de purificação espiritual.

O "Estás curado" pode siginificar uma entre duas alternativas: ou cessou o compromisso cármico ou foi ele suspenso, embora, em ambos os casos, valha a advertência do Cristo "vai e não peques mais".

Mas, como podia saber Jesus que o doente, o obsidiado, o pecador já resgatara a sua dívida e que estava ali na presença do Mestre para, como ele mesmo o afirmou em seu Evangelho, "dar testemunho do poder de Deus através dele, seu enviado?".

Ele o fazia lendo na aura espiritual que o mesmo resgatara seus delitos e se limpara interiormente suprimimndo a dívida por si própio, por ter sofrido resignadamente e por ter aprendido o ensinamento contido na dor, a causa do mal. Jesus podia suspender ou protelar a incidência da lei cármica sobre determinada criatura, também lendo a aura do doente, ao ali captar que a suspensão daria ensejo ao doente de agir no bem e apagar os seus pecados pelo amor. Advindo o "milagre da cura" naquele ser já predisposto ao bem surgia a oportunidade do resgate pelo amor.

É o que a Espiritualidade faz conosco frequentemente, graças à misericórdia divina, porque a Lei do Amor sobrepõe-se à Lei de Justiça; se falharmos novamente o compromisso cármico se apresenta irremissivelmente.

"Uma lei de âmbito mais amplo, mais profundo e mais elevado suplanta a lei menor e mais restrita".

A cura pelo poder restaurador do poderoso espírito de Jesus era também corroborada pela falange de espíritos elevados que o acompanhavam, especialmente na cura de tantos doentes merecedores que se apresentavam ao Mestre.

Como acontece hoje nas curas pelo Espiritismo, há uma quantidade imensa de mensageiros do bem que se incumbem de realizar a cura ou impedir o avanço da enfermidade ou aliviando os sofrimentos.

E não curam também os médicos, psicólogos, psiquiatras, psicanalistas, terapeutas alternativos, pajés, benzedeiras, num derrame de misericórdia sobre toda a humanidade imperfeita, devedora e sofredora, graças ao infinito e eterno Amor do Pai pelos seus filhos?

É isto que todos nós entendemos por acréscimo de misericórdia de Deus e por atos da providência divina. São os atenuantes com que a Lei de Amor abranda a Lei de Causa e Efeito atendendo, muitas vezes, aquelas preces de intercessão que corações dignos e amorosos endereçam ao Pai da Vida em favor de entes queridos em sofrimento passíveis de misericórdia.

A fé do enfermo foi e é sempre vital para sua cura, pois com ela se prepara ele para assimilar no seu espírito e perispírito os benefícios restauradores que alcançarão o corpo físico. "A tua fé te curou. Vai em paz".

Autoria: 
Raphael Rios

Que benção estas palavras, as lágrimas não deixaram de rolar perante a alegria de saber que sempre há esperança! As palavras também curam inspiradas por Deus. Obrigada, que Deus te abençoe e sempre te inspire.