Ano Novo, Atitudes Novas!!!


Ano Novo: mais uma vez nos propusemos a ser diferentes, melhorando nosso comportamento, eliminando hábitos infelizes e alcançando, desta forma, a paz e a felicidade que tanto almejamos para nossas vidas.

Mas basta alguém nos dirigir palavras mais ríspidas ou nos dar uma pequena fechada no trânsito ou nos chamar a atenção, por algo que fizemos ou deixamos de fazer, para que nos esqueçamos de todas as nossas promessas de Ano Novo e revidemos, com a mesma ou maior intensidade, à ação daqueles do que aqueles que feriram nosso orgulho...

Neste novo ano sejamos realmente diferentes, esforcemo-nos por cumprir, ao menos em parte, nossa proposta de reforma interior. Tenhamos como exemplo a história a seguir, selecionada do livro “Novas Estórias ao Entardecer”, de William Netto Cândido, intitulada “O monge e o escorpião”.

Um monge e seus discípulos iam por uma estrada e, quando passaram por uma ponte, viram um escorpião sendo arrastado pelas águas. O monge correu pela margem do rio, meteu-se na água e tomou o bichinho na mão. Quando o trouxe para fora, o bichinho o picou e, devido à dor, deixou-o cair novamente no rio. Foi então à margem, tomou um ramo de árvore, adiantou-se outra vez a correr, entrou no rio, colheu o escorpião e o salvou. O monge voltou e juntou-se aos discípulos na estrada. Eles haviam assistido à cena e o receberam perplexos e penalizados.

- Mestre, deve estar doendo muito! Por que foi salvar este bicho ruim e venenoso? Que se afogasse! Seria um a menos! Veja como ele respondeu à sua ajuda! Picou a mão que o salvara. Não merecia sua compaixão !

O monge ouviu tranqiiilamente os comentários e respondeu: -Ele agiu conforme sua natureza, e eu, de acordo com a minha.

Autoria: 
Da redação