Aceitando os desígnios divinos


Os desígnios divinos, ignorados por nós, se cumprem indefectivelmente no dia prefixado para eles. Antes de chegar à vida material, aceitamos as condições dessa vida, apesar de que, envoltos na pesadez da carne, não as recordemos, nem as levemos em conta (as nossas tendências, inclinações, impulsos compulsivos e outros alertas do nosso subconsciente nos mostram quais provas enfrentaremos de modo a não incidirmos nas faltas que cometemos no passado). Cada alma traz seu caminho marcado pela Lei Eterna e aceito voluntariamente por ela. A alma sabe, portanto, pelo patrimônio no subconsciente e pelos momentos de libertação no sono, o que encontrará nesse caminho, que será sempre para seu progresso e adiantamento na senda eterna que há de percorrer. No mundo espiritual não se levam em conta os padecimentos da vida terrena (porque todos padecem...) senão as respostas a esses padecimentos em termos de resultado final da existência.

Autoria: 
Raphael Rios